RPT-Lucro líquido da JBS recua no 3º tri por aumento de despesas financeiras

* Lucro líquido consolidado recua 33% para R$258,3 mi no 3º tri

* Lucro líquido da controladora cai 40% para R$219,8 mi

* Despesas crescem 45%; resultado financeiro pesa no resultado

* Ebitda e receita registram aumentos expressivos

* Câmbio favorece vendas externas do Mercosul

SÃO PAULO, 13 Nov (Reuters) - O lucro líquido da empresa brasileira JBS, maior produtora global de carnes, recuou com força no terceiro trimestre-- ficando abaixo das estimativas do mercado--, impactado pelo aumento de 45 por cento nas despesas operacionais.

O lucro líquido da controladora caiu 40,1 por cento em relação ao mesmo período do ano passado, para 219,8 milhões de reais, enquanto o lucro líquido consolidado recuou 33,2 por cento para 258,3 milhões de reais.

O resultado veio abaixo da expectativa média de oito analistas ouvidos pela Reuters --que havia indicado um lucro de 452 milhões de reais--, em meio a um aumento das despesas com vendas, administrativas e gerais.

As despesas operacionais consolidadas somaram 2,8 bilhões de reais, ante 1,9 bilhão de reais no mesmo período do ano passado, impactado pelo resultado financeiro, que ficou negativo em 874,9 milhões de reais -- aumento de mais de 100 por cento na comparação com o terceiro trimestre do ano passado.

Já o Ebitda, importante indicador do desempenho operacional, somou 1,709 bilhão de reais, crescimento de 24 por cento em relação ao obtido no mesmo período de 2012, vindo acima do esperado pelo mercado (1,52 bilhão de reais).

A receita líquida somou 24,22 bilhões de reais, aumento de 25,1 por cento na mesma comparação, também acima do esperado, com a maior parte do aumento advinda de crescimento orgânico.

"A expansão da receita se deu em decorrência do aumento na receita de todas unidades de negócios, parcialmente influenciado pela desvalorização de 9 por cento do real frente ao dólar em relação ao 3T12", disse a empresa, que destacou o crescimento da receita da unidade JBS Mercosul, de 35,2 por cento em relação ao mesmo período do ano passado, com aumentos expressivos nos mercados interno e externo.

DÍVIDA CRESCE COM SEARA

A relação dívida líquida/Ebitda da JBS, incluindo a assunção de 5,85 bilhões de reais em dívidas provenientes da aquisição da Seara e sem considerar o Ebitda da companhia adquirida, encerrou o terceiro trimestre em 4,03 vezes, contra 3,28 vezes em 30 de junho de 2013.

A alavancagem, excluindo a dívida assumida na aquisição da Seara, em junho, seria de 2,96 vezes.

A dívida líquida subiu para 22,4 bilhões de reais, alta de 30,1 por cento no fim de setembro ante 30 de junho. Do total da dívida, 35 por cento era de curto prazo.

A JBS disse que por conta da emissão em outubro de 1 bilhão de dólares em títulos com vencimento em 2020 e da conclusão de acordos com os bancos envolvidos na aquisição da Seara, o perfil de sua dívida irá mudar. A empresa estima que a dívida de curto prazo deverá cair para 21 por cento da dívida total e a disponibilidade de caixa será equivalente a 116 por cento da dívida de curto prazo.

A empresa encerrou o terceiro trimestre com 7,83 bilhões em caixa, equivalente a 73 por cento da dívida de curto prazo, aproximadamente.

(Por Roberto Samora; Edição de Raquel Stenzel)

See all articles from Reuters
Loading...

Friend's Activity