Lucro líquido da Vale mais que dobra no 3º tri e supera previsões

Por Roberto Samora e Sabrina Lorenzi

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO, 6 Nov (Reuters) - O lucro líquido da Vale, segunda maior mineradora do mundo, mais que dobrou no terceiro trimestre e superou as estimativas do mercado, impulsionado por maiores vendas e preços mais altos para o seu principal produto, o minério de ferro.

O lucro líquido atingiu 7,949 bilhões de reais no terceiro trimestre deste ano, ante 3,321 bilhões de reais verificado no mesmo período do ano passado, informou a empresa nesta quarta-feira.

Em dólares, o lucro líquido da maior produtora de minério de ferro do mundo atingiu 3,502 bilhões, acima da expectativa média de analistas ouvidos pela Reuters, de 3,3 bilhões de dólares.

"A recuperação esperada nos embarques de minério de ferro e pelotas... e seus preços mais elevados foram os principais responsáveis pelo resultado alcançado no 3T13", afirmou a mineradora em nota nesta quarta-feira.

A gigante Vale produziu 85,89 milhões de toneladas de minério de ferro do terceiro trimestre, alta de 17,3 por cento em relação ao trimestre anterior e aumento de 2,3 por cento na comparação com o mesmo período do ano passado.

O total de embarques de minério de ferro e pelotas --de 83,6 milhões de toneladas no trimestre-- foi o terceiro maior volume na história da Vale.

A receita operacional da companhia somou 29,5 bilhões de reais, com aumento de 26,3 por cento em relação ao mesmo período do ano passado.

No terceiro trimestre, o preço médio do minério de ferro vendido pela companhia foi de 105,58 dólares por tonelada, contra 93,90 dólares no mesmo período do ano passado.

"Os preços de minério de ferro surpreenderam positivamente, registrando uma média de 135,40 dólares por tonelada métrica nos primeiros nove meses do ano, ante uma média de 130 dólares registrada no ano de 2012, a despeito do aumento nas exportações da Austrália", afirmou a companhia.

A participação da China nas vendas de minério da Vale continuou crescendo e alcançou 50,2 por cento, um pouco acima dos 49,1 por cento no terceiro no terceiro trimestre de 2012.

CUSTOS MENORES

A Vale também chamou a atenção para o custo operacional do minério de ferro --mina, planta, ferrovia, porto após royalties--, que caiu para 22,10 dólares por tonelada métrica ante o valor de 24,15 dólares do segundo trimestre de 2013.

Nos nove primeiros meses do ano, a empresa acumulou corte de custos e despesas de 5 bilhões de reais em relação ao mesmo período do ano passado.

"A combinação de alta qualidade com baixo custo operacional permanece como uma de nossas mais importantes vantagens competitivas no mercado global", disse a mineradora em comunicado.

DESINVESTIMENTO

A Vale informou estar em negociações finais para a venda de uma parcela adicional de 26 por cento do capital da VLI, sua empresa de logística, reduzindo sua participação para menos de 40 por cento da empresa.

"O desinvestimento de ativos non-core permite a extração de valor não precificado em nossas ações e relocação de capital para nossos principais negócios."

Em setembro, a Vale firmou acordo de venda de 20 por cento do capital total da VLI para a Mitsui, por 1,509 bilhão de reais, e outros 15,9 por cento do capital para o FI-FGTS por 1,2 bilhão de reais.

Nessa mesma linha, os investimentos da Vale recuaram. Os aportes --excluindo aquisições-- nos nove primeiros meses do ano totalizaram 11 bilhões de dólares, uma redução de 1,2 bilhão de dólares em relação ao mesmo período de 2012.

"Tendo como sustentação um balanço sólido e forte geração de caixa, o Conselho de Administração aprovou a distribuição da segunda parcela da remuneração mínima, 1,75 bilhão de dólares, e um montante adicional de 500 milhões de dólares. A remuneração aos acionistas alcançou 4,5 bilhões de dólares em 2013."

A dívida total da Vale em 30 de setembro era de 29,776 bilhões de dólares, com ligeira redução se comparada aos 29,863 bilhões de dólares em 30 de junho de 2013. A empresa encerrou o terceiro trimestre com 7,2 bilhões de dólares em caixa.

"As melhorias no capital de giro alcançadas no primeiro semestre, resultantes de uma série de iniciativas para aumentar a eficiência e otimizar a gestão de capital, foram mantidas no 3T13. O número de dias de contas a receber permaneceu no mesmo nível que no 2T13, apesar do aumento no valor absoluto desta conta".

A alavancagem, medida pela relação dívida total/enterprise value melhorou de 32,4 por cento em 30 de junho de 2013 para 28,8 por cento no fim de setembro, devido ao aumento de 18,0 por cento do valor de mercado da Vale no trimestre.

See all articles from Reuters
Loading...

Friend's Activity