IPCA acelera alta a 0,24% em agosto mas perde força em 12 meses

RIO DE JANEIRO, 6 Set (Reuters) - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou a alta em agosto para 0,24 por cento, impactado principalmente por Habitação e Saúde em meio à retomada do avanço dos preços de Alimentação e Vestuário.

Em julho, o indicador havia registrado variação positiva de 0,03 por cento em julho.

No acumulado de 12 meses até agosto, o IPCA avançou 6,09 por cento, de acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, menor variação desde dezembro de 2012, quando atingiu 5,84 por cento.

A leitura mostrou queda ante os 6,27 por cento de julho, permanecendo abaixo do teto da meta do governo, de 4,5 por cento com tolerância de 2 pontos percentuais.

Os resultados ficaram em linha com a expectativa de economistas ouvidos pela Reuters, que esperavam alta de 0,25 por cento na comparação mensal e de 6,10 por cento no acumulado em 12 meses.

Analistas já haviam considerado que o resultado de julho do IPCA, a menor taxa em três anos, seria o ponto mais baixo do ano, devido à diluição dos efeitos transitórios da queda dos preços de Transportes e Alimentos.

De acordo com o IBGE, a principal influência para o resultado veio de Habitação, com impacto de 0,08 ponto percentual após repetir a alta de 0,57 por cento.

Já o grupo Saúde e Cuidados Pessoais subiu 0,45 por cento, ante alta de 0,34 por cento em julho, com impacto de 0,05 ponto no índice de agosto.

Por outro lado, Alimentação e Bebidas mostrou variação positiva de 0,01 por cento em agosto, depois de cair 0,33 por cento no mês anterior, porém o impacto foi zero. O mesmo aconteceu com o grupo Vestuário, com alta de 0,08 por cento ante queda de 0,39 por cento, em julho.

Por sua vez o ímpeto deflacionário de Transportes perdeu força, passando a uma queda de 0,06 por cento em agosto após deflação de 0,66 por cento em julho.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier e Felipe Pontes; Texto de Camila Moreira; Edição de Alexandre Caverni)

See all articles from Reuters
Loading...

Friend's Activity