Fundador do Alibaba esclarece estrutura interna do grupo

HONG KONG, 10 Set (Reuters) - O fundador do grupo Alibaba, Jack Ma, revelou detalhes da estrutura de parceria interna da companhia nesta terça-feira, aumentando a pressão sobre os reguladores de Hong Kong à medida em que eles questionam os planos da oferta pública inicial de ações do gigante de e-commerce.

Os dois lados estão discutindo a possibilidade do Alibaba ser listado em Hong Kong e, ao mesmo tempo, manter seus "parceiros" --um grupo de fundadores e funcionários de alto escalão-- no controle da composição do conselho da empresa.

Na balança, está a oferta de ações, altamente antecipada, que poderia ser o maior IPO de tecnologia desde a abertura de capital do Facebook, que levantou 16 bilhões de dólares no ano passado.

Ma enviou um e-mail para toda a empresa nesta terça-feira anunciando formalmente os detalhes do modelo de parceria da empresa pela primeira vez, em que também explicou a importância da manutenção desse sistema. O conteúdo do e-mail foi confirmado por um porta-voz do Alibaba.

O Alibaba quer manter a tomada de decisões importantes entre seus parceiros, dando ao grupo formado por 28 altos funcionários o direito de nomear a maioria do conselho.

No entanto, reguladores de Hong Kong estão preocupados com a estrutura, que daria muito poder de voto aos fundadores do Alibaba e seus gerentes sêniores em detrimento dos investidores externos.

A parceria foi projetada para "salvaguardar a cultura da inovação" e proteger a empresa da "tentação de buscar ganhos de curto prazo", disse Ma no e-mail. A parceria não visa "o exercício de maior controle sobre a companhia", escreveu ele.

Os comentários de Ma aumentam a pressão sobre a bolsa de Hong Kong e os reguladores locais em relação à permissão para que a Alibaba Holding seja listada com seu esquema de parceria intacto.

Pessoas familiarizadas com os planos de listagem disseram que o Alibaba está inclinado a realizar seu IPO ​​em Hong Kong, apesar de Nova York continuar sendo uma opção.

(Por Elzio Barreto)

See all articles from Reuters
Loading...

Friend's Activity