Fábrica química em Grangemouth é fechada na Escócia

Por Simon Falush e Sarah Young

LONDRES, 23 Out (Reuters) - A economia da Escócia sofreu um duro golpe nesta quarta-feira, quando os proprietários da unidade de Grangemouth fecharam a fábrica petroquímica e ameaçaram fechar a refinaria adjacente, colocando 1.400 postos de trabalho em risco.

A refinaria de 210 mil barris por dia, que fornece a maior parte do combustível da Escócia, foi fechada na semana passada por seu proprietário privado suíço Ineos devido a uma disputa de longa duração com trabalhadores. Os proprietários disseram que a unidade teve prejuízo.

A decisão de fechar a fábrica petroquímica ocorre apesar dos protestos do primeiro-ministro David Cameron, que havia pedido a todos os lados envolvidos que continuassem as negociações. O movimento também é um revés para o Partido Nacional Escocês, que está liderando a campanha para a Escócia se tornar independente.

Grangemouth é uma das únicas sete refinarias na Grã-Bretanha e é o maior parque industrial da Escócia. Cerca de 1.400 funcionários trabalham no local, com 800 das pessoas empregadas na fábrica de produtos químicos.

See all articles from Reuters
Loading...

Friend's Activity